31/05/18

SANTARÉM: lembrar o DIA MUNDIAL DA CRIANÇA


SEIXAL: solidariedade com os enfermeiros do Hosp Garcia Orta

A Comissão de Utentes comunga das preocupações dos enfermeiros do HGO. Manifesta a sua solidariedade com a sua luta e, por isso mesmo, esteve presente no protesto desta manhã neste Hospital.
EM DEFESA DO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE

9 de junho: MANIFESTAÇÃO NACIONAL


LITORAL ALENTEJANO: Comissões de Utentes exigem melhores cuidados de saúde

https://www.abrilabril.pt/local/utentes-do-litoral-alentejano-exigem-melhor-saude

Utentes do Litoral Alentejano exigem melhor saúde

As comissões de utentes do Litoral Alentejano denunciam a «situação crítica» a que chegaram várias unidades de saúde da região e exigem uma mudança de políticas que ponha fim à delapidação do SNS. 
https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/7401.png?itok=b7XEHV-N
As comissões denunciam que a consulta de oftalmologia no HLA tem quase 2800 utentes em lista de espera
As comissões denunciam que a consulta de oftalmologia no HLA tem quase 2800 utentes em lista de esperaCréditos/ Avivo Group
Num comunicado emitido após a reunião da última sexta-feira, as comissões de utentes do Litoral Alentejano dão conta do apuramento realizado sobre os diversos serviços públicos da região, em particular na área da Saúde. 
«A Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA) chegou a uma situação crítica, limitando o acesso dos utentes aos diversos cuidados de saúde», lê-se no texto.
Além da existência de «graves problemas» em várias extensões de saúde, como a de Palma, em Alcácer do Sal, ou a de Vila Nova de Santo André, no concelho de Santiago do Cacém, os utentes criticam a falta de acesso a cuidados de saúde nalgumas localidades. 
«É inadmissível», dizem, que a população de Canal Caveira (Grândola) e de Vale de Santiago (Odemira) só tenha acesso a cuidados de saúde médicos
«de 15 em 15 dias», sublinhando que, se, por qualquer motivo, o médico não for no dia previsto, os utentes ficam sem consulta, pelo menos, durante um mês. 
Os utentes criticam ainda o facto de as extensões de saúde de São Bartolomeu e São Francisco da Serra (Santiago do Cacém), e de Barrancão (Alcácer do Sal) continuarem encerradas. 

Urgência pediátrica sem pediatras

É ao Hospital do Litoral Alentejano (HLA), em Santiago do Cacém, que se dirige a maior parte das críticas realizadas pelos utentes. É a Urgência Pediátrica que funciona sem médicos especialistas em pediatria, «sendo as crianças observadas por médicos indiferenciados», mas também os tempos máximos de resposta garantidos que «não são cumpridos» num sem número de serviços. 
Além do encerramento de 20 camas no HLA desdeJaneiro de 2018, para os utentes é «incompreensível» a carência de cerca de 100 enfermeiros na ULSLA. 
«É intolerável o Conselho de Administração afirmar que não há dinheiro para contratação de profissionais de saúde e existirem serviços que funcionam através de contratação externa como, por exemplo, a Cardiologia, a Imagiologia e a Oftalmologia, entre outros», denunciam.
A diminuição das listas de utentes por cada médico de família, de 1900 para 1500 utentes, e a criação do enfermeiro de família são outras das reivindicações elencadas  pelas comissões de utentes.
Reconhecendo que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) «se encontra delapidado», as comissões de utentes admitem que a situação resulta das «opções políticas erradas» dos sucessivos governos do PS, do PSD e do CDS-PP, e apelam à participação na manifestação que a CGTP-IN promove no dia 9 de Junho, em Lisboa

Lembrar o Dia Mundial da Esclerose Múltipla


SANTARÉM: os preços (mais caros da Europa) da energia


ALGARVE: pela requalificação da EN 125

Movimento de Cidadania dos Utentes da EN 125 Sotavento anuncia protesto para requalificação urgente daquela via

  
O Movimento de Cidadania dos Utentes da EN 125 – Sotavento anunciou que está a organizar uma Marcha/Protesto para a requalificação urgente da EN125 no Sotavento, nomeadamente entre Olhão Nascente e Vila Real de Santo António. O evento terá lugar no próximo dia 10 de Junho, pelas 10 horas, com partida da Rotunda de Vila Nova de Cacela e chegada ao entroncamento da Retur, num total de cinco quilómetros.
O Movimento informa, em comunicado de imprensa, que “todos os que desejem participar deverão fazê-lo a pé ou de bicicleta, terão abastecimento de água e fruta a meio do percurso, transporte de autocarro para o regresso e deverão vestir uma t-shirt preta – símbolo do luto em que o Sotavento vive, devido ao constante e vergonhoso desrespeito e esquecimento que temos vindo a ser alvos desde há mais de uma década por parte dos sucessivos governos”.
Esta é mais uma acção deste Movimento, que espera ter “uma enorme adesão por parte de uma população indignada e farta de falsas promessas, que se sente esquecida e desrespeitada e que representa quase 5% do PIB nacional. O Sotavento é a porta de entrada, via terrestre, para a grande maioria do turismo que permite a sustentabilidade económica desta região e de boa parte do país. Um canto do Algarve com um turismo de excelência ao nível das praias, unidades hoteleiras, restaurantes, gastronomia, serviços, turismo rural, agricultura emergente – com grande impacto na exportação para toda a Europa, acolhimento, entre outros, não merece as deploráveis acessibilidades que tem, através de uma EN 125 completamente esburacada, que não oferece condições de segurança aos seus utentes, bem como o mau estado das bermas e a falta delas em alguns locais – tendo como única alternativa a Via do Infante (A22), caríssima e também ela em mau estado”.
en 125

MÉDIO TEJO: pela melhoria dos serviços de urgência


LISBOA: Comissão Utentes analisa um gestão de gestão municipal da CARRIS



MÉDIO TEJO: pela abolição das portagens na A23 e na A13


31.MAIO: Dia Nacional das Colectividades

31 MAIO

DIA NACIONAL DAS COLECTIVIDADES

LISBOA: Comissão Transportes contesta opção da METRO


27/05/18

MARINHA GRANDE: utentes lembram António Arnault

Utentes da Marinha Grande recordam contributo na luta pelo SAP

País

A Comissão de Utentes em Defesa do SAP 24 horas da Marinha Grande lamentou hoje a morte de António Arnaut, que lutou contra o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) do concelho.

"A Comissão de Utentes em Defesa do SAP 24 Horas da Marinha Grande quer expressar, neste momento de dor, as mais profundas condolências à família de António Arnaut, fundador do Serviço Nacional de Saúde", referiu esta comissão num comunicado enviado à agência Lusa.
Os utentes entendem que é "seu dever pagar a dívida de gratidão pelo empenhamento político do cidadão António Arnaut, em defesa da estrutura do Serviço Nacional de Saúde, o Serviço de Atendimento Permanente da Marinha Grande (SAP 24h), quando há 11 anos o então ministro da Saúde o tentou encerrar".
Numa forma de homenagear publicamente António Arnaut, "fundador e defensor infatigável do Serviço Nacional de Saúde", a comissão lembrou as suas palavras "escritas para o III Congresso da Fundação Para a Saúde SNS, em Coimbra": "O nosso SNS atravessa um tempo de grandes dificuldades, que se não forem atalhadas rapidamente podem levar ao colapso. E tudo em consequência de anos sucessivos de subfinanciamento e de uma política privatizadora e predadora resultante da Lei 48/90, ainda em vigor, que substituiu a lei fundadora de 1979".
António Arnaut, advogado, nasceu na Cumeeira, concelho de Penela, distrito de Coimbra, em 28 de janeiro de 1936, e morreu na segunda-feira nos hospitais da Universidade de Coimbra, onde estava internado.
Presidente honorário do PS desde 2016, António Arnaut foi ministro dos Assuntos Sociais no II Governo Constitucional, grão-mestre do Grande Oriente Lusitano e foi agraciado com o grau de Grande-Oficial da Ordem da Liberdade e com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.
Poeta e escritor, António Arnaut envolveu-se desde jovem na oposição ao Estado Novo e participou na comissão distrital de Coimbra da candidatura presidencial de Humberto Delgado. (Lusa/RTP)

PORTALEGRE: em defesa da qualidade das vias rodoviárias

Condutores em marcha lenta exigem mais segurança nas estradas (C/VÍDEO)

A Comissão de Utentes da Rede Viária do Caia organizou, na tarde de quinta-feira, dia 24, uma marcha lenta na Estrada Nacional 373.

24 Maio 2018 in LinhasdeElvas

A Comissão de Utentes da Rede Viária do Caia organizou, na tarde de quinta-feira, dia 24, uma marcha lenta na Estrada Nacional 373.
Dezenas de condutores circularam a 20 quilómetros por hora entre Campo Maior e Elvas, em protesto contra a “alta taxa” de sinistralidade verificada nas estradas nacionais 371 e 373.
Os automobilistas exigiram ainda mais e melhores condições de segurança naquelas vias, que ligam as localidades de Arronches, Campo Maior e Elvas.

ÉVORA: Tribuna em defesa da Escola pùblica

Tribuna pública em Évora
O Movimento de Utentes dos Serviços Públicos do Distrito de Évora realizou, dia 11 de Maio, no Largo Luís de Camões, em Évora, uma tribuna pública sob o lema «Por uma escola pública, de qualidade, para todos».

Resultado de imagem para musp évora

LISBOA: Comissão Utentes Transportes apela ao envio de informações

Por favor, façam-nos chegar os vossos testemunhos sobre os problemas relacionados com a Carris!
Temos recebido muitas informações sobre o Metro, mas sobre a Carris não é tão frequente. Por isso, e como é uma rede muito maior, precisamos de saber em mais detalhe quais são as carreiras que funcionam mal, que se encontram mais lotadas, que têm mais atrasos, e aquelas em que é diminuída a frequência da passagem dos autocarros.
E claro, apelamos a todos que não parem de reivindicar os transportes públicos de qualidade, que são um direito de todos nós. Como: comentando, escrevendo no livro de reclamações, expressando-se em manifestações e outras acções de rua que apoiem os transportes públicos de qualidade. E por favor continuem a fazer-nos chegar os vossos testemunhos!






BARREIRO: Petição pela construção do Centro de Saúde do Alto Seixalinho

A Petição pela construção do Centro de Saúde no Alto Seixalinho está na Rua, nas colectividades, nos cafés e restaurantes do nosso concelho! Assinem, divulguem, ja estão quase 3000 assinadas, vamos chegar às 4200 para que possamos chegar à Assembleia da Republica. Defender o SNS é também defender a nossa Saúde o nosso Concelho.

Foto de Comissão Utentes do Barreiro.

MÉDIO TEJO: Preparar com todos a reunião com o CA do CHMT


QUINTA CONDE: Inquérito aos utentes

A Comissão de Utentes da Quinta do Conde apela ao preenchimento do questionário abaixo apresentado, para apuramento das necessidades dos quintacondeses. Obrigada pela atenção!


17/05/18

Utentes das estradas que ligam Arronches, Campo Maior e Elvas organizam marcha lenta contra a sinistralidade


A alta sinistralidade nas estradas que ligam as localidades de Arronches, Campo Maior e Elvas, levou à criação de uma Comissão de Utentes da Rede Viária do Caia, que agendou uma “marcha lenta” para o dia 24 de maio, na Estrada Nacional 373.
 Foto de Rádio Portalegre.
Os impulsionadores da comissão defendem um novo revestimento e o alargamento das Estradas Nacionais (EN) 371 e 373.
Em declarações à Rádio Portalegre, Rui Salabarda Garrido, um dos 14 subescritores da comissão, explicou que a proposta do Governo que visa a criação de uma nova variante para desviar o tráfego de pesados, sobretudo na EN 373, não resolve os problemas dos utentes.
A comissão criada por 14 cidadãos vai, em breve, lançar uma petição pública e realizar uma marcha lenta contra a “alta sinistralidade”.